31 de jul de 2007

A Dança

Gira o corpo, levemente, e abraça
A etérea figura que aparece
E se põe a acompanhar o compasso
Fielmente... seu sorriso um laço...
Oscila o par, por um instante,
Os corpos se enlaçam, gentilmente
Ganham o espaço no ritmo leve
Da melodia original e ardente
Há sedução e fogo no ar
Há magia em cada movimento
A força emana e a dança
Prossegue, revolvendo os sentimentos
Os acordes fluem e, naturalmente,
Os dois corpos se unem em paixão
Exalam adocicados odores
Espalham flores pelo chão
Os pés tocam o solo sutilmente
O imaginário segreda tênues traços
Da ardorosa fusão
De desejos, intentos e visões
A bailar, quase voam, entretidos
Olhos entrelaçados, a procurar
No outro olhar o pedido existente
Nas juras de amor sussurradas delicadamente.

Nenhum comentário: