27 de out de 2010

A Lua de Brasília

do mesmo lugar de onde vem a poesia
vem também uma poeira de encantamento
a lembrança de uma cidade, umidade
o sol alastrado, nódoa suja do cimento

da mesma forma que foi feita a poesia
foi feita também a agonia, solidão
a garatuja de uma verdade, ambigüidade
a vida enfeitada, felicidade em amplidão

a mesma lua que guarda a poesia
guarda também a luz da esperança
o cavalo de são Jorge, brinquedo
no alforje, quando ainda se é criança

Poema de Sandoval Fagundes

Nenhum comentário: