14 de fev de 2012

Recursos da Prova do TSE 2012 - Técnico Administrativo

Amigos
Seguem abaixo os recursos para as questões de gabarito divergente da banca. Deixo claro alguns pontos antes de lerem :
- Os recursos não podem ser copiados e colados. Escrevi os recursos para ajudá-los na sua fundamentação. Leiam atentamente o que escrevi abaixo e construam os seus próprios recursos pois as bancas não aceitam recurso idênticos. Citem livros, autores, revistas, entrevistas para dar uma fundamentação mais científica.
- Não deixe de redigir recursos acreditando que alguém vai fazer recurso da mesma questão. Se todo mundo pensar igual, nenhum recurso chega na banca. E quanto maior a quantidade de recursos diferentes da mesma questão, leva a banca a acreditar realmente no seu erro e anular a questão ou mudar o gabarito.
- Professores ou escolas não entram com recurso. Só podem entrar com recurso quem fez a prova.
- Os comentários das outras questões (prova inteira) estão na postagem abaixo desta dos recursos.
Abração e contem SEMPRE comigo
Wendell Léo


51) Padilha, ao solicitar aos gerentes uma avaliação da produtividade dos funcionários, definiu a função de gestão de pessoas da empresa Max Pinturas como
(A) responsabilidade de linha.
(B) função de staff.
RESPOSTA: B
A definição correta de Gestão de Pessoas é justamente uma mistura das 2 alternativas de resposta. A área de RH/GP é uma responsabilidade de linha com função de staff, o que pode levar o candidato à confusão. No entanto, quando o Padilha solicita aos gerentes para que eles avaliem a produtividade de cada funcionário usando as informações como base para esboçar um plano de carreiras, ele quer dessa informação realizar algo. Sendo assim, nesse caso pontual, trata-se de uma função de staff. Esta questão pode gerar confusão/recurso.


GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: A definição da área de Gestão de Pessoas enseja ao entendimento por parte dos autores, citando Chiavenato de ¨departamento que possui responsabilidade de linha, com função de staff¨, isso é, um departamento como os outros porém com função de assessorar todos os outros. Essa definição já levaria à confusão quando a questão pergunta como o Padilha define a função à partir do momento em que ele solicita aos gerentes uma avaliação da produtividade dos funcionários. Bem, se ele solicita ao gerentes a avaliação, é porque ele quer utilizar a avaliação como objeto de análise para a composição do novo plano de carreiras. Ao solicitar a avaliação para os gerentes, ele está solicitando para que os gerentes o assessorem... sendo assim, trata-se de exercício da função de staff, o que deixa a opção A errada.

52) O plano de carreiras define, principalmente, a trajetória do funcionário na organização e o seu salário durante essa trajetória. O salário é considerado pelo funcionário um fator relacionado a como ele sente em relação à(ao)
(A) seu cargo.
(B) sua empresa.
RESPOSTA: A
Sendo salário um fator higiênico na teoria de Herzberg, isso é, um fator externo ao indivíduo, então o mesmo corresponde à proporção de esforço e reconhecimento relacionado à suas atividades diárias e responsabilidades (dentro de seu cargo). O sentimento quanto à empresa já corresponderia a fatores internos (motivacionais).


GABARITO DA BANCA – B
RECURSO: Se a banca coloca que o plano de carreiras define a trajetória do funcionário na organização e o seu respectivo salário, está discordando então que o salário está ligado diretamente ao cargo que se executa. Cada cargo tem seu salário, e sua carreira será trilhada pelo desempenho do cargo. Como poderia o salário definir como o funcionário se sente em relação à empresa? Em relação a empresa seriam analisados outros fatores como: clima e cultura organizacional, relação com chefias, ambiente físico de trabalho, etc...

55) Considerando a empresa como um sistema aberto, é correto afirmar que a seleção e o treinamento constituem-se em
(A) entradas no sistema.
(B) processamentos do sistema.
RESPOSTA: B
Complicado responder essa questão pois na Teoria dos Sistemas, todo INPUT (entradas) existem para gerar OUTPUTS (saídas). Sem a definição das saídas, é difícil definir quais seriam as entradas, ou processamentos. No entanto, considerando o ser humano como ENTRADA, e o trabalho executado como SAÍDA, então a seleção e o treinamento capacitarão melhor o indíviduo, sendo considerados ELEMENTOS TRANSFORMADORES, ou como diz a questão: PROCESSAMENTOS.


GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: Como definir que seleção e treinamento são entradas de um processo se o enunciado não define quais são as saídas? Levando em consideração as poucas informações do enunciado, se a organização é um sistema aberto, segundo Bertalanfy, a mesma recebe influencias do mundo a sua volta (clientes, fornecedores, funcionários, etc...) e devolve esta influencia ao mundo por meio da retroalimentação. Se seleção e treinamento são considerados entradas pela douta banca, desafio-a responder então qual seria a matéria-prima da seleção e do treinamento. Já que a definição de Entradas ou Inputs para Bertalanfy são: matéria-prima e insumos, as entradas do processo acima são as PESSOAS e não a seleção e o treinamento, que seriam então considerados ELEMENTOS TRANSFORMADORES.

56) Como estratégia para retenção de funcionários, Padilha desenvolveu um plano de carreiras. Os resultados que vierem a ser obtidos com a implantação do plano de carreiras estão relacionados à
(A) eficiência.
(B) eficácia.
RESPOSTA: A
A confecção do plano de carreira deveria ter como foco a produtividade do funcionário, no sentido dele corresponder às expectativas contemporâneas de ¨encantar¨ clientes. O encantamento vem com o ¨algo a mais¨, afinal, clientes não desejam mais apenas o que é prometido. Sendo assim, um plano de carreiras moderno deve ser construído com base na eficiência. Como Padilha construiu o plano com base no aumento da produtividade dos funcionários, ele também busca que seu funcionário realize o ¨algo a mais¨.


GABARITO DA BANCA – B
RECURSO: Está claro no caput da questão que Padilha solicitou aos seus gerentes uma avaliação da produtividade de cada funcionário e a usou como base para esboçar um plano de carreiras para seu pessoal. Justamente com base na PRODUTIVIDADE, que tem como definição ¨fazer mais, com menos¨. Na definição de Eficácia e Eficiência, os autores colocam: Eficácia – Fazer o que é esperado, atingir objetivos. Eficiência – Aproveitar os recursos da melhor forma, o algo a mais. Se produtividade é fazer mais com menos, e Eficiência é aproveitar os recursos da melhor forma, a Opção B está errada.

61) A logística é uma abordagem atual da administração de recursos materiais e tem como atividades consideradas primárias
(A) a armazenagem, o manuseio de materiais, a embalagem prática dos produtos.
(B) o transporte, a manutenção dos estoques, o processamento de pedidos.
RESPOSTA: A
As três principais funções da logística são a armazenagem, a movimentação (manuseio) e a embalagem.


GABARITO DA BANCA – B
RECURSO: Marco Aurélio Dias, Ballou, Petrônio Martins e outros autores definem claramente em seus respectivos livros de Administração de Materiais que as 3 funções da logística dentro das organizações são a Armazenagem, a Movimentação de Materiais e a Embalagem. A manutenção dos estoques é uma responsabilidade da área de estoques propriamente ditas, e o processamento de pedidos da área de expedição/compras. Sendo assim, a resposta correta é a opção A.

63) Assinale a alternativa que define a relação existente entre compras e produção.
(A) Atendimento às necessidades de programa de produção e de materiais auxiliares, uma vez que é o setor que produz a necessidade do mercado.
(B) Atendimento às necessidades de programa de produção e de materiais auxiliares, já que é o setor que produz novas metodologias e processos de produção.
RESPOSTA: B
A opção A está errada pois não é a área de Compras ou Produção quem produz as NECESSIDADES do mercado, e sim os próprios clientes quem tem necessidades a serem supridas pelas organizações. A relação entre Compras e Produção é a de produzir novas metodologias e processos para atender as necessidades DOS CLIENTES.


GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: Anulação da Questão por ter sido mal redigida ou alteração para Opção B. O enunciado pede a definição da relação entre compras e produção. A Opção A afirma que é o setor que produz as necessidades do mercado (Qual? O de compras ou o de produção???). E ainda que a banca considere a Opção A como definitivamente a correta, a área de compras/produção não produzem a ¨necessidade¨ do mercado, mas sim produzem soluções para uma necessidade que o próprio mercado produziu. Uma organização não produz necessidades, produz benefícios. Quanto a Opção B, ele é mais coerente, pois as áreas de compras/produção pensam em novas metodologias e processos para justamente atenderem as necessidades que o mercado já possui.

73) Em épocas de expansão e crescimento econômico é fundamental o país possuir pessoas qualificadas para que as empresas aproveitem esta fase. Uma das características apresentadas no texto, que é uma realidade atual do Brasil diz respeito ao fenômeno denominado
(A) apagão humano.
(B) apagão intelectual.
RESPOSTA: B
Apagão intelectual é o termo adequado para a dificuldade de encontrar pessoas qualificadas.


GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: Qual a definição de apagão humano e apagão intelectual? No apagão humano, temos 2 traduções: falta de pessoas (quantidade) e falta de humanismo. No apagão intelectual temos a definição de falta de qualificação (qualidade). O enunciado tem duplo sentido nesse aspecto, pois em um momento o caput coloca: ¨(...). "Em alguns casos levei três meses para encontrar o profissional que eu procurava (...). Não posso correr o risco de parar de crescer por falta de gente". Nesse ponto, fica caracterizado o apagão humano e a banca estaria certa. No entanto, no enunciado acima, a banca coloca que ¨ Em épocas de expansão e crescimento econômico é fundamental o país possuir pessoas qualificadas para que as empresas aproveitem esta fase¨, o que já demonstra o apagão intelectual.
Como o caput também coloca que ¨ Esse empresário está recorrendo às próprias fileiras devido à dificuldade em encontrar gente preparada¨, e ainda demonstra que vai treinar seus próprios gerentes de recepção e governantas, fica nítido que ele tem a quantidade de funcionários, mas não tem a qualidade. Sendo assim apagão intelectual é a resposta mais coerente.de treinamento

97) Nos processos de treinamento, é primordial desenvolver o ciclo de treinamento que é composto por quatro etapas, a saber: diagnóstico, desenho, implementação e avaliação. A atividade relacionada à elaboração do programa de treinamento para atender às necessidades identificadas em um cargo, dá-se o nome de
(A) diagnóstico.
(B) desenho.
(C) implementação.
(D) avaliação.
RESPOSTA: B
A elaboração do programa nada mais é que colocar no papel as ações que serão executadas no treinamento, entre outros detalhes. Isso pode ser chamado de Desenho do Treinamento.


GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: Se a banca considera que DIAGNÓSTICO é elaborar o programa de treinamento, pergunto então com base em dados retirados de onde se elaboraria um programa adequado? Todos os autores de Gestão de Pessoas, sem exceção, colocam que as fases do treinamento são: Diagnóstico (levantar informações), Desenho (colocar no papel, planejar), Implementação (ou execução, o dia do treinamento propriamente dito) e Avaliação (assim que o treinamento acaba e dias depois).

98) De acordo com as funções de um gerente de operações, analise.
I. Formular estratégia de operações alinhada com os objetivos estratégicos da organização.
II. Tomar decisões relativas ao layout de instalações.
III. Controlar a produção das unidades sob sua responsabilidade.
IV. Administrar estoques.
Assinale
(A) se todas as afirmativas estiverem corretas.
(B) se apenas as afirmativas II e IV estiverem corretas.
(C) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
(D) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
RESPOSTA: C
A B está errada, pois as decisões relativas ao layout (desenho) das instalações são do gerente da manufatura/qualidade, e administrar estoques é do gestor de materiais.

GABARITO DA BANCA – A
RECURSO: A Gerência de Operações é o nome dado ao departamento que tem como função cuidar para que ¨as coisas funcionem¨. Exemplo disso é a gerência de operações em um shopping, que controla o pessoal da segurança, da manutenção, dos serviços gerais, não no sentido de supri-los, mas sim no sentido de acompanhar a execução perfeita. Se falta produto de limpeza naquele momento, a  gerência de operações solicitará à gerência de materiais; se o layout é inadequado para determinada operação, a gerência de operações não toma decisões, mas aconselha e mostra para o gerente de produção/qualidade onde estão os pontos falhos para que sejam corrigidos. Na Policia Militar, por exemplo, a área de operações organizará uma blitz nas ruas, mas não administrará os estoques dos materiais. O problema da questão na opção IV é o verbo ADMINISTRAR estoques. A Gerência de Operações não os administra, embora os manuseie e os solicite. O layout de instalações é feito pela área de produção assessorada pela engenharia de produção, não pelo gerente de operações, que muito embora possa criticar e sugerir o layout adequado. Para todos os itens serem corretos, deveria estar no enunciado o termo ¨gestor de processos¨ e não ¨gerente de operações¨.

110) Considerando as diferenças entre gestão pública e privada, analise.
I. A gestão privada possui mais autonomia decisória relativamente a gestão pública.
II. A gestão pública sofre mais ingerência política relativamente a gestão privada.
III. A gestão privada de empresas tem objetivos econômicos e sociais com mesmo peso.
IV. Para a gestão pública, a lucratividade pode ser dispensável.
Estão corretas apenas as afirmativas
(A) I, III
(B) II, IV
(C) III, IV
(D) I, II, IV
RESPOSTA: A
A I está correta, pois as organizações privadas tem mais liberdade na tomada de decisão que a administração pública que ainda é mais burocratizada, embora avançando dentro do atual modelo gerencial de gestão pública.
A II está errada, pois a administração privada, pela maior liberdade é quem sofre mais ingerência politica.
A III está correta, considerando a teoria. Se você considera a prática atual das organizações, errará o julgamento desta questão. Os objetivos econômicos tem mais peso na administração privada que os objetivos sociais (tratando-se de pratica), pois em teoria deveriam considerar a mesma importância para o lucro e para o aspecto social.
A IV está errada. No atual modelo gerencial de administração pública, a lucratividades não é dispensável. O problema é a interpretação dada à palavra ¨lucro¨. Lucro não é algo ruim para o Estado, desde que o lucro das organizações públicas fosse revertido para serviços ao próprio cidadão, reduzindo assim a carga tributária. (mas como será que a banca interpretará esse item?).

GABARITO DA BANCA – D
RECURSO:
Item I – correto.
Item II – se a banca considera o item II correto, então a banca acredita que a gestão pública, com base em leis – regras – normas – procedimentos – onde a legalidade afirma que o que não está contemplado na lei não é permitido – sofre mais ingerência política? É justamente pela prisão à burocracia e leis que a gestão pública tem melhor gerência política. Se a banca considera o item II correto, está levando em consideração a pratica da corrupção e os aspectos ilegais que vemos todos os dias nos jornais para justificar a ingerência política... e o que vale é a fundamentação teórica. Em teoria, a administração pública é menos flexível, mais rígida, de maior controle, e consequentemente de menor possibilidade de ingerência política.
Item III – se a banca considera errado o Item III, então a iniciativa privada teria foco mais quem que? No lucro ou no social? E qual a empresa privada com foco apenas no lucro consegue sobreviver nos dias de hoje? Ou se tiver foco apenas no aspecto social, como vive sem lucro? Organizações privadas dentro do momento atual devem ter foco no lucro, nos valores, nas causas que seus clientes defendem, e nas alianças estratégicas.
Item IV – se a banca considera que a lucratividade pode ser dispensável pela gestão pública, vivemos ainda no modelo ou patrimonialista ou burocrático de gestão pública segundo a Consulplan. No atual modelo GERENCIAL, o Estado se administra como se fosse uma empresa, e no modelo GERENCIAL o Estado se torna lucrativo em todos os seus aspectos, porém não para enriquecimento próprio, mas sim para benefícios ao próprio cidadão.













2 comentários:

Lucas disse...

Valeu pela ajuda professor!
Fui seu aluno no aulão do Procon e desde então fico de olho por aqui no blog!

Anônimo disse...

Prof., graças a Deus pelos seus esclarecimentos. Eu estava me sentindo uma nulidade. Achei que tinha ido super bem na prova e quando saiu o gabarito, que fiasco! Lendo seus comentários vi que não fui tão mal assim. E já estou me sentindo melhor mesmo que a banca não aceite os recursos. Obrigada.
Carmen